Neuromarketing: Usando a Neurociência para Aumentar Resultados

download-1

 

O cérebro está no cerne de cada única decisão que os clientes fazem sobre seus produtos e serviços. Quando você quebra o código, uma visibilidade sem precedentes é concedida no comportamento do cliente. Mas que estratégias específicas os marketeiros estão usando?

Neuromarketing:

O Neuromarketing é o estudo da resposta sensório-motora, cognitiva e afetiva dos consumidores aos estímulos de marketing. Escavações profundas no comportamento do cliente para fornecer insights sobre o que os clientes pensam sobre seus produtos e serviços. Por exemplo, se as pessoas não estão comprando seu novo produto, poderia mudar algo simples, como a embalagem, cor ou tamanho do texto fazer uma diferença considerável?

Os comerciantes testam respostas com pessoas reais em tempo real usando uma variedade de estratégias, mas aqui estão alguns métodos populares.

MRI. Ressonância magnética Ressonância magnética
Pesquisadores de marketing rastream o fluxo de sangue do cérebro, veem como uma pessoa responde a uma variedade de pistas visuais e de áudio. Com esse método, os pesquisadores geralmente estão examinando as partes profundas do cérebro normalmente associadas ao prazer.

EEG. Um eletroencefalograma (EEG) é um teste que detecta a atividade elétrica em seu cérebro. Este método atribui eletrodos para o couro cabeludo (às vezes os eletrodos são colocados em uma tampa que se encaixa a cabeça firmemente) e é mais barato do que a ressonância magnética.

Você pensa…Mas nossa equipe de mkt não tem um orçamento para um MRI ou um EEG. Existem algumas ações poderosas que você ainda pode tomar em relação a isso.

Algumas Marcas que usam Neuromarketing

O cérebro é hardwired  para responder a determinados fatores em uma maneira específica, as marcas principais usaram o neuromarketing para gerar resultados maiores por diversos anos. Por exemplo, os comerciantes que querem entender por que os clientes estão comprando menos de um produto pode ganhar maior compreensão através de neuromarketing. Aqui estão alguns exemplos:
download

Frito-Lay: descobrindo informações inesperadas
Frito-Lay contratou uma empresa de neuromarketing para entender melhor o popular Cheetos alimentos lanche. Ele selecionou um grupo de clientes e digitalizou o cérebro de cada participante. O objetivo era medir as respostas a diferentes atributos sobre o popular lanche.

Os resultados foram surpreendentes. Os pesquisadores descobriram que a pegajosa poeira laranja que ficava nos dedos quando se comia o salgadinho era realmente desejável. Sim, você leu certo. Eles gostaram de ter suas mãos se transformam em uma bagunça brilhante e suja. A empresa alavancou esta nova informação para revisar sua campanha publicitária existente.

download-1
Coca-Cola: medindo emoções
A gigante de refrigerantes usa neuromarketing para avaliar as emoções do cliente sobre seus produtos. Ao contrário da abordagem de MRI ou EEG, a empresa utiliza uma técnica chamada codificação facial. Que grava expressões faciais. O processo é o seguinte:

A tecnologia é perfeitamente integrada, e com a permissão do participante, ele simplesmente registra seu rosto enquanto eles assistem anúncios dentro de um ambiente de pesquisa normal, interpretando automaticamente os estados emocionais e cognitivos do espectador, momento a momento.

Basicamente, a codificação facial retarda o vídeo dos sujeitos para encontrar aquelas emoções fugazes, verdadeiras que se registram por apenas uma fração de segundo, mas são capturadas em vídeo.

Nesse caso específico, os clientes são expostos a um pedaço de embalagem do produto e suas respostas são registradas e classificadas como positivas, negativas ou neutras. Esta estratégia é usada em conjunto com uma entrevista para identificar pontos de impacto para mudar. Por exemplo, a empresa descobriu que a cor, as imagens e até mesmo o tamanho do texto causavam um sério impacto.

download
PayPal:
descobrindo oportunidades de mensagens inesperadas
Por muitos anos, PayPal  messaging focou na segurança. Desde que vendeu serviços financeiros, era natural supor que os povos estiveram concernidos primeiramente com estes benefícios. No entanto, uma vez que a empresa começou a usar neuromarketing, eles descobriram uma mensagem ainda mais poderosa.

Os clientes queriam serviços seguros, mas também queriam algo mais… Velocidade e conveniência. Os clientes queriam enviar e receber dinheiro rapidamente e facilmente. Uma vez que isso foi descoberto, a empresa adotou uma nova abordagem de marketing e alavancou esses apelos.

 

download-3
Hyundai

O fabricante de carro deu participantes EEG caps e lhes pediu para examinar um protótipo de carro por uma hora. Hyundai cuidadosamente estudou suas respostas e usou os dados para fazer mudanças no design do carro.

Sabe aquele “cheirinho de carro novo? ” pois é, ele não foi usado a toa. Quando o consumidor compra um carro novo na maioria das vezes ele já estaria disponível não fosse o “spray” de carro novo que é passado no interior dos carros para que a sua memória afetiva lembre e deseje sentir novamente esse cheio de ano em ano.

Você quer usar a neurociência para começar a gerar resultados agora? Se assim for, aqui estão algumas dicas básicas que você pode implementar para o sucesso.

Humanização!
As marcas devem ter sentimentos. 80% das decisões de compra são tomadas de forma inconsciente. É um número impressionante que nos faz fugir do racional para o valor emocional.

Nas áreas de mídias sociais e marketing digital, neuromarketing pode nos ajudar a aprender muito melhor o nosso futuro cliente através de várias técnicas, como a análise morfológica de mensagens para obter razões não-racionais, porque algumas causam mais impacto do que outras, o “Eye-tracking” que estuda o comportamento dos olhos (dilatação, etc.), observando as reações do indivíduo para as redes sociais ou a análise emocional utilizando biossensores que medem a atividade emocional gerada na interação social. Um exemplo disso é a marca Marlboro.

download-4
O publico-alvo da marca eram os homens e pesquisas apontavam uma crescente venda entre as mulheres. Resultado da pesquisa: A pupila das mulheres dilatavam ao ver o cowboy, forte e viril montado em um cavalo selvagem.

Um exemplo da aplicação destas técnicas hoje em dia: São sites de redes sociais como o Pinterest e Instagram, o nosso cérebro reage mais rapidamente do que em outros, pelo fato de uma imagem influenciar a nossa percepção mais rapidamente, ou seja, transmite uma mensagem mais rapidamente, do que um texto.

1. Mantenha as fontes simples.
Um estudo conduzido por Hyunjin Song e Norber Schwarz na Universidade de Michigan descobriu o impacto das fontes no cérebro. Se você precisar de um cliente para concluir uma tarefa, use fonte grande. Um bom exemplo disso são as instruções de inicialização que você recebe com um novo computador ou impressora. Observe que a fonte é muito grande. Isso não é um erro. Fontes grandes ajudam os clientes a lembrar e simplificar tarefas.

2. Use a escassez para gerar maior resposta.
O cérebro é hardwired para reagir quando sente a escassez. Por exemplo, vamos dizer que um site tem uma oferta de tempo limitado, com um ótimo preço. Os clientes que pensam que não podem voltar mais tarde devem tomar uma decisão. Acelera o ciclo de vendas.

3. Alavancar atitudes congruentes.
Nick Kolenda, autor de ” Métodos de Persuasão” Cunhou o termo “atitude congruente”

 

4. Acorde o cérebro com palavras inesperadas.
O cérebro está ligado para prever o que vem a seguir. Por exemplo, se alguém diz, “é como uma agulha em um “espaço em branco” Você automaticamente diz: ” palheiro.”

 

NOSSO CÉREBRO AMA IMAGENS

Nossa mente processa imagens muito mais rápido que textos. Não é à toa que as ferramentas de Design Thinking são baseadas em imagens: aproximadamente 90 por cento de toda a informação que o cérebro processa é visual.

NOSSO CÉREBRO TAMBÉM AMA IMAGENS DE ROSTOS

A Netflix é a maior prova de marca que já testou e entendeu este ponto, Desde o nascimento, nós somos ligados à rostos humanos para reconhecer nossos pais, por exemplo. Por isso, campanhas que mostram as características do ‘personagem’ (ou a própria emoção) no rosto facilitam a identificação e rápida ligação emocional.

CORES TAMBÉM CAUSAM SENSAÇÕES

Significado-das-cores3.jpg

COMO APLICAR ISSO NO MARKETING?

Use imagens de pessoas reais nas suas campanhas e considere a possibilidade de utilizar rostos até mesmo nas landing pages, e-mails e site pra despertar algum desejo mais forte de ação. Segundo estudos feitos com ferramentas de eye-tracking, nosso cérebro, por padrão, irá olhar primeiro nos rostos que reconhecer na página.

Maximizando a Consciência, e Gerando Resultados
No final, o cérebro está buscando soluções que irão resolver seus pontos de dor. Mas a consciência é a chave. Aproveite o tempo para entender os clientes. Pensamento em um nível inteiramente novo e compreender suas necessidades. Aplique algumas (ou muitas) técnicas de marketing de neurociência para obter essa compreensão ou otimizar suas descobertas e, em seguida, comunicar-se de uma forma que serve os clientes para conduzir melhor resultados sem precedentes.

images

A Sucrilhos kelloggs patenteou a crocancia do cereal!

Qualquer outro cereal matinal não poderia criar a crocância que o paladar sente ao saborear o produto. Qualquer outra marca de cereal ao consumir o produto ele tem o aspecto de vidro moído, ou passa a sensação de que o produto esta vencido.

É necessário conhecer a mente do consumidor e criar um emocional mais direto no processo, a longo prazo, de conversão de compra de um produto ou serviço, oferecendo experiências de valor e proporcionando satisfação aos internautas.
Um estudo aprimorado do público-alvo e de seus comportamentos e reações é essencial.O neuromarketing abre um novo horizonte na pesquisa de mercado, trabalhando principalmente com imagens, emoções e o inconsciente.

[21 dicas] para criar conteúdo viral

21 dicas baseadas em pesquisas de comportamento para que você possa implementar em seus posts e aumentar assim a chance das pessoas compartilharem seu conteúdo e com isso torna-lo viral.

marketing-digital1

1 – Use números

Títulos com números, como o deste post, “21 dicas para criar conteúdo viral”, aumentam em 36% as chances das pessoas clicarem no link. Uma outra pesquisa revelou que número impares tem um desempenho 20% melhor na taxa de cliques.

2 – Use [colchetes]

Segundo uma pesquisa da Outbrain, títulos com colchetes [ ] indicando o conteúdo do link tem um desempenho de clicks 38% maior do que os que não tem colchetes.

3 – Use URLs curtos

A Marketing Sherpa fez um estudo onde constataram que URLs curtas tem 2,5x mais chances de serem clicados.

publicar1.jpg

4 – URLs descritivos

A Microsoft realizou uma pesquisa e o resultado foi que URLs que descrevem o tema do link recebem 25% mais clicks do que os que não são descritivos. Exemplo:

  • meusite.meu/como-criar-um-blog = ótimo
  • meusite.meu/blog/post?id=431 = ruim

5 – Use imagens coloridas antes do texto

A Xerox em uma pesquisa constatou que imagens coloridas antes de guias de produtos tem80% a mais de chance de serem lidas.

6 – Coloque botões de compartilhamento antes do texto

Botões de compartilhamento antes do texto aumentaram em média 63% a taxa de leitura dos elementos próximos. Elementos mais ao fim da página são menos lidos. Essa pesquisa foi realizada pelo Google.

publicar2

7 – Inicie com frases curtas

As pessoas leem apenas 28% do conteúdo de um post em um blog. Por conta disso, é necessário que você cative a atenção delas rapidamente. Segundo a pesquisa do Dr. John Morkes, usar frases curtas no início das postagens aumentam em média 58% a taxa de leitura dos artigos.

8 – Imagens passam ar de credibilidade

Um estudo da Claremont Graduate University descobriu que adicionar imagens em um postaumenta em 75% a credibilidade do mesmo.

9 – Torne o conteúdo fácil de ser lido

Parágrafos curtos, sub cabeçalhos, listas, negrito, tudo isso são ótimas formas de facilitar a leitura do visitante. O Dr. Jakob Nielson constatou que o uso dessas táticas aumenta em média 57% a taxa de leitura de um post.

publicar3

10 – Seja extremamente prático

Na pesquisa do Dr. Jonah Berger, ele constatou que conteúdos extremamente práticos (direto ao ponto) tiveram 34% mais chances de viralizarem.

11 – Use imagens profissionais

A qualidade das imagens faz uma grande diferença quando o assunto é compartilhamento. Um estudo conduzido pela Marketing Sherpa constatou que usar imagens profissionais (de alta qualidade) aumentou o compartilhamento no Facebook em 45% em relação à fotos semi profissionais.

publicar4

12 – Use a emoção

Um estudo da Journal of Marketing Research constatou que conteúdo que expressa emoções como alegria, surpresa ou raiva tem 28,6% a mais de chance de viralizar.

13 – Use infográficos

Segundo a BuzzSumo, conteúdo com infográficos tem 2,3 vezes mais compartilhamentosdo que tutoriais. Caso você ache muito complicado ou custoso criar infográficos, não deixe de conferir os planos da rockcontent, pode ser uma solução para você.

14 – Imagens aumentam os compartilhamentos

Uma pesquisa da Skyword constatou que texto contendo ao menos uma imagem geram 94% a mais de visualizações nas redes sociais.

publicar5

15 – Mencione influenciadores

Mencione, crie links e comunique aos influenciadores quando cita-los em seu conteúdo. Segundo uma pesquisa da Columbia University, compartilhamento de influenciadores foram críticos para que um determinado conteúdo viralizasse. Eu utilizei essa tática neste post e confesso que funciona mesmo.

16 – Peça às pessoas para compartilharem seu post

Inclua um CTA (call to action) no final dos posts pedindo para as pessoas compartilharem seu conteúdo. E não deixe de criar algo personalizado. A Hubspot concluiu que um CTA “Compartilhe essas dicas para perda de peso” teve um desempenho 42% melhor do que um CTA genérico com apenas “Compartilhe este post”.

17 – Publique textos grandes

O Professor Dr. Jonah Berger constatou que artigos longos, com ao menos 2000 palavras, sãocompartilhados 52% mais do que artigos curtos.

18 – Sempre coloque uma foto em destaque

Colocar fotos em destaque dentro do artigo (função que o WordPress oferece por padrão) garante que seu post terá uma imagem quando for compartilhado nas redes sociais. Além disso, posts com imagens recebem 150% a mais de retweets e 53% mais likes no Facebook.

social-media-marketing-spout-e1419013729801

19 – Se inspire nos títulos de Adwords

Os títulos feitos para Google Adwords são criados para aumentarem a taxa de clique e por isso são constantemente testados e alterados para melhora do desempenho. Por isso, quando for criar seu título para SEO, se baseie nos títulos de adwords.

20 – Inclua hashtags

Quando for compartilhar seu conteúdo nas redes sociais, use hashtags sempre. Dan Zarella analisou 1,2 milhão de tweets e constatou que tweets contendo hashtags aumentaram o retweets em 55%. Não deixe de ler também este post sobre hashtags.

21 – Publique entre 8 e 12 horas

Quando for publicar nas redes sociais, publique seu post entre as 8 e 12 horas. A Shareaholicconstatou que posts entre 8 e 12 horas foram compartilhados 27% mais.

publicar6

Fontes:
http://analise.digital/blog/melhores-praticas/21-dicas-para-criar-conteudo-viral/
http://www.dr4ward.com/.a/6a00e54fd9f059883301b7c7dc627e970b-pi

Os quatro pilares da estratégia de Midia Social


Este post ajudará você a :

1. Compreender como os quatro pilares da estratégia de Mídia Social se aplicam ao seu negócio e a criação de comunidades on line bem sucedidas,

2. Definir seu negocio no contexto de conteúdo,

3. Gerar ideias iniciais para a criação de uma comunidade de sucesso em torno do seu conteúdo,

4. Tornar seu conteúdo mais aderente,

5. Compreender as estratégias básicas de gestão de comunidades on line,

6. Distinguir entre os diferentes tipos de comunidades


Dominando os Quatro Pilares
Comunicação
Colaboração
Educação
Entretenimento


Como começar:

– Crie e envie um informativo básico, um e-mail mktg,

– Encontre pelos menos dois microblogs de sua área de interesse, leia alguns posts de cada participante do blog e participe também da conversa, oferecendo seu ponto de vista e fazendo comentários.

– Comece o seu próprio Blog com o objetivo de educar as pessoas sobre algo que você tenha pleno conhecimento,

– Crie sua própria conta no YouTube e faça upload de um vídeo, você não precisa ser expert em vídeo, ele serve apenas para criar entretenimento no seu blog para que os leitores possam participar e interagir com comentários.

Essas praticas se referem ao gerenciamento cuidadoso e a proteção da sua marca. Uma marca significa alguma coisa para seus clientes, e o relacionamento entre essa marca e os clientes tem que ser cultivado. O que as pessoas dizem sobre sua marca pode fazer ou simplesmente quebrar seu negocio.


Midia Social se trata de possibilitar conversas em três regras básicas:

1. Midia Social é puramente possibilitar conversas no meio de sue publico ou mercado.

2. Voce não pode controlar as conversas que estão na Midia Social, mas pode influenciá-las,

3. Influencia é o alicerce sobre o qual todas as relações economicamente viáveis são construídas

 
Como você determina o seu Conteúdo
Seu conteúdo é composto por:

– Produtos e Serviços que você promove na internet

– Conhecimento que você guarda muitas vezes pra complementar seus produtos e serviços

– Coisas para as quais você permite ou incentiva o publico a contribuir

– Conversas sobre o seu conteúdo que você permite, influencia e armazena.

Obtenha informações diárias sobre seus concorrentes, um segmento de mercado ou um tema de seu interesse com o Google Alerts (www.google.com/alerts) Esse poderoso mecanismo de busca monitora a web quando as palavras e frases que você considera importantes para seu interesse e envia alertas por e-mail.

 
Dicas para gerenciar a sua comunidade:

1. Nomeie um gestor para sua comunidade. Eles funcionam como um anfitrião em uma festa, ele apresenta as pessoas que entraram para a comunidade e gerencia as conversas, ele assegura que o evento aconteça sem percalços. O gestor pode ser o membro da comunidade ou alguém nomeado para isso.

2. Identifique os evangelistas da comunidade. Estas são as pessoas que promovem a sua comunidade, eles dizem aos outros onde a festa esta acontecendo, os evangelistas aparecem espontaneamente e você não tem controle sobre eles, apenas pode influenciar as conversas a seu favor. 

3. Alinhe seu conteúdo com as necessidades do seu publico. Pense no seu conteúdo como se você estivesse criando um novo produto, as pessoas compram ou adotam algo por seus beneficios, e não por suas características.

4. Incentive o conteúdo gerado pelos seus usuários. A sua comunidade não ira pra frente sem os comentários e a participação dos seus seguidores, faça-os participar com conteúdo relevante.

  Este post fez você compreender como sua empresa pode ser vista no contexto do conteúdo e em como o conteúdo orienta a criação e a evolução de uma comunidade em relação a sua marca.

Fonte: A Biblia da Midia Social de Lon Safko

Studio AleDesigner cuida da sua marca nas Redes Sociais

Por que devo ter um Blog?

  O que é um weblog ou blog?
O blog é uma página web atualizada freqüentemente, composta por pequenos parágrafos apresentados de forma cronológica. É como uma página de notícias ou um jornal que segue uma linha de tempo com um fato após o outro. O conteúdo e tema dos blogs abrange uma infinidade de assuntos que vão desde diários, piadas, links, notícias, poesia, idéias, fotografias, enfim, tudo que a imaginação do autor permitir.

Usar um blog é como mandar uma mensagem instantânea para toda a web: você escreve sempre que tiver vontade e todos que visitam seu blog tem acesso ao que você escreveu.

Vários blogs são pessoais, exprimem idéias ou sentimentos do autor. Outros são resultado da colaboração de um grupo de pessoas que se reúnem para atualizar um mesmo blog. Alguns blogs são voltados para diversão, outros para trabalho e há até mesmo os que misturam tudo.

  Os blogs também são uma excelente forma de comunicação entre uma família, amigos, grupo de trabalho, ou até mesmo empresas. Ele permite que grupos se comuniquem de forma mais simples e organizada do que através do e-mail ou grupos de discussão, por exemplo. Crie um blog privativo para sua equipe de trabalho discutir projetos e apresentar soluções. Ou crie um blog familiar para que seus parentes troquem notícias e fotos a todos os membros.

Os sites por sua vez, precisam de muitos recursos (PHP, HTML, ASP, JAVA, ACTION SCRIPT, etc…) que faz com que cada vez mais ele fique em segundo plano na hora de criar uma identidade institucional para divulgação na web.

 26 Dicas para se potencializar um Blog:

1. Use o WordPress: Ele é o mais flexível com todos os plug-ins;

2. Publique com frequência: post pelo menos 3 vezes por semana para que seus seguidores não migrem para outros e esqueçam de você;

3. Use títulos sugestivos: Faça títulos com perguntas para que os leitores entrem e leiam a resposta;

4. Faça questões abertas: publique perguntas em sua matéria para que os leitores possam participar dela;

5. Comente em outros Blogs: Isso traz leitores para o seu consequentemente;

6. Use o Twitter: Sempre que publicar algo em seu blog publique ao mesmo tempo no twitter, isso aumentará o numero de leitores;

7. Torne seu RSS obvio: Dê um destaque maior á ele, para aumentar o numero de seguidores;

8. Use Imagens em seus posts: Imagens dão leveza a matérias muito densas e não as tornam cansativas;

9. Use tags de cabeçalho: As tags são palavras-chave que aumentam a divulgação do post;

10. Não use designs muito complicados como o myspace: Designs muito cheios de animações tornam a matéria cansativa e o leitor não volta;

11. Aprenda a vender: muito cuidado com a publicidade em seu blog, ele é como uma jornal eletrônico, e não um panfleto de vendas;

12. Não despreze as redes sociais: o facebook, o orkut são poderosos veículos de divulgação;

13. Crie um perfil no facebook para seu blog: assim todas as publicações também estarão nas redes em forma de links;

14. Encontre um diferencial: Procure algo que possa atrair a atenção de seus leitores para que eles voltem sempre;

15. Publique vídeos: Uma forma de tornar o blog divertido é publicar vídeos a respeito do tema postado;

16. Crie links: Criar links em meio ao texto, redirecionar para outros textos anteriormente publicados, assim gera uma maior navegação do usuário no seu blog;

17. Blog é um negócio Social: Esteja sempre que possível on line e nunca deixe de responder um comentário;

18. Participe de conferencias: Mesmo que virtuais, esteja sempre presente;

19. Escreva e-book: Crie e-books sobre o assunto que você domina e venda-os em seu blog;

20. Tenha uma galeria de fotos: As pessoas gostam de procurar por fotos para publica-las e a sua pode ser a escolhida;

21. Torne o compartilhamento fácil: Deixe visível os links para curtir, seguir, e twitar na sua pagina;

22. Compartilhe: Use a relação de 10 pra 1, a cada 10 postas que você compartilha de seus amigos, compartilhe o seu uma vez, não fica cansativo e seus amigos também o farão;

23. Escreva assuntos relevantes: Não tem coisa pior do que ler um post que não diz nada com nada, isso acaba com a reputação do blog inteiro;

24. Ajude seus leitores a encontrar o que procuram: Torne seu Blog acessível, de fácil leitura e simples, nada como encontrar o que você estava procurando sem firulas;

25. Não escreva como se você estivesse escrevendo para a enciclopédia britânica: Se seu blog é jovem, escreva com linguagem jovem, senão soa falso e seus leitores não voltam mais;

26. Passe o mesmo tempo lendo e escrevendo: Assim você expande seu conhecimento, e tem sempre algo novo que possa publicar e atrair mais seguidores.

 Conclusão:
Blogar é a maneira mais fácil hoje em dia de se comunicar, com seus clientes atuais e outros em potencial. Depois que você começa não para mais, é como um esporte intelectual.

Além deste Blog tenho outro sobre meu trabalho, vale a pena conferir!

 

Relações Públicas e Publicidade e Propaganda, andando de mãos dadas

 Dizem que o profissional nunca deve parar de diversificar. Pensando nisso é que após me formar em publicidade e propaganda há onze anos, me especializei em criação de web sites, midia on line, e midia impressa.
No decorrer dos anos, a vontade de querer aprender so ficou mais latente, e com o crescimento das redes sociais nao poderia deixar de também fazer parte desse universo. Li tantos livros quanto me foram possiveis sobre mktg nas redes sociais, e midia social que hoje posso dizer com propriedade que me especializei no assunto.
Mas a vontade de diversificar nao parou por ai… Depois de receber um e-mail de um amigo jornalista de renome, que me convidou para conhecer o universo das Relaçoes Públicas,  para meu espanto tem muito a ver com Publicidade e Propaganda….fecha-se um ciclo!
Estou adorando entrar neste universo novo…..e para aqueles que assim como eu, não estao ainda totalmente familiarizados, sejam bem-vindos!

   Relações Públicas é uma função administrativa que avalia as atitudes públicas, identifica as diretrizes e a conduta individual ou da organização na busca do interesse público, e planeja e executa um programa de ação para conquistar a compreensão e a aceitação públicas.

Relações Públicas é planejar, implantar e desenvolver o processo total da comunicação institucional da organização como recurso estratégico de sua interação com seus diferentes públicos e ordenar todos os seus relacionamentos com esses públicos, para gerar um conceito favorável sobra a organização, capaz de despertar no público credibilidade, boa vontade para com ela, suas atividades e seus produtos.

Enquanto marketing prende-se estreitamente ao produto e a sua promoção, tendo por foco a marca, Relações Públicas concentra-se na identidade da organização e na sua filosofia comportamental, tendo por foco sua imagem projetada na opinião pública.

  O profissional de Relações Públicas, pela lei brasileira, precisa ser formado em curso superior, ter registro no Conselho da categoria e pode exercer sua atividade como profissional liberal, assalariado ou de magistério nas entidades de direito público ou privado, tendo por fim o estudo ou aplicação de técnicas de política social destinada à intercomunicação de indivíduos, instituições ou coletividades.

O profissional de Relações Públicas planeja, executa e avalia as políticas de relacionamento da instituição, de maneira ética e estratégica, com todos os segmentos sociais, dando suporte para que ela se adapte num ambiente de constante transformação. Em resumo é um profissional que trabalha com Comunicação Estratégica e Mediada.

  • Relações Públicas é o profissional que administra interações entre públicos diversos. Capacitado, então, para planejar, organizar, decidir, executar e controlar atividades que envolvam diretamente o processo de comunicação (ex: a implantação de um sistema educacional e-learning, que exige um cuidado especial com linguagens e formas de comunicação para públicos diversos é uma ação que pode e deve ser gerenciada por um relações-públicas).

  Além disso, o profissional de relações públicas pode trabalhar nas seguintes áreas:

  • Administração Promover ações para a valorização de uma empresa ou marcas. Criar canais de comunicação com os funcionários e fornecedores, clientes, governo e comunidade.
  • Atenção ao cliente Atender as solicitações e reclamações de consumidores, para melhorar a qualidade dos produtos e serviços da empresa.
  • Cerimonial e protocolo Orientar empresários, políticos e chefes de Estado sobre etiqueta e comportamento.
  • Comunicação institucional Divulgar os valores e as políticas da organização para funcionários, clientes, consumidores e fornecedores.
  • Eventos Organizar palestras, exposições, recepções, coquetéis e outras solenidades de promoção da empresa.
  • Pesquisa de opinião Coletar dados sobre o público interno e externo da empresa para desenvolver planos de comunicação e de ação.
  • Planejamento estratégico Traçar a estratégia de relacionamento e de comunicação com a comunidade, a imprensa, os fornecedores, a concorrência e os consumidores.
  • Projetos institucionais Analisar pedidos apresentados a empresas, de parceria em projetos sociais, culturais e educacionais, coordenando sua adequação à filosofia e aos objetivos da instituição.
  • Relações governamentais Elaborar planejamento estratégico.
  • Relações Públicas Digitais Relacionamento com os influenciadores de opinião nas mídias sociais, promovendo o diálogo com os diferentes públicos da organização que têm presença ativa na web.

 Objetivos das Relações Públicas

  • Construir, manter ou reformar a reputação positiva de uma instituição, seja ela um produto, uma marca, uma empresa, uma entidade, uma organização civil ou governamental, uma pessoa física;
  • Pensar e gerenciar as relações da organização com todos os seus públicos e o impacto na reputação;
  • Gerenciar crises;
  • Planejar e organizar eventos dentro do conceito Institucional e Organizacional visando objetivos estratégicos de relacionamento público;
  • Promover pesquisas de opinião pública;
  • Planejar e produzir publicações institucionais;
  • Desenvolver atividades de relacionamento com a mídia (muito mais amplas que o termo popularmente conhecido – assessoria de imprensa);
  • Identificar potenciais patrocinadores e fazer parcerias e convênios;
  • Desenvolver atividades de relacionamento com a comunidade a partir de políticas de responsabilidade social;
  • Reconciliar o interesse público ou ajustar com este, dos aspectos de uma conduta individual ou institucional que tem significado social.
  • Desenvolver através da Comunicação o entendimento do Público Interno às orientações diretivas conforme Planejamento Estratégico estabelecido em função de objectivos organizacionais.
  • Identificar e/ou construir canais e códigos de linguagens que possibilitem a aceitação dos públicos em função dos Objetivos Organizacionais de forma ética e democrática.
  • Monitorar as variáveis de comportamento dos públicos de interesse da organização.

   Públicos das Relações Públicas

  • Os públicos podem ser Internos e Externos
Internos: são as pessoas com quem a organização comunica regularmente na rotina do trabalho, tais como empregados, investidores, fornecedores, negociantes e clientes regulares.
Dentro dos públicos internos, os mais importantes são os funcionários. As comunicações internas podem ser descendentes, ascendentes e laterais. Nas comunicações descendentes, os gestores mantêm os funcionários informados sobre os programas e políticas da empresa. Os seus veículos são os jornais da empresa, os posters, filmes, cartazes e eventos. As comunicações ascendentes são menos desenvolvidas e os seus veículos são o feedback, as caixas de sugestões, os inquéritos, as reuniões de grupos e as jornadas de portas abertas. As comunicações laterais estão normalmente estruturadas nos departamentos, em pares as equipes comunicam entre si.
Externos: são as pessoas com quem a empresa comunica mas de uma forma não regular nem próxima, tais como os vizinhos na comunidade local, entidades governamentais, grupos de interesses, os media e a comunidade financeira.
Nas relações externas a principal preocupação são os media pois estes têm uma grande influência na opinião pública. A informação é disseminada através dos media como notícia ou história. Os consumidores também são uma grande fatia deste público. Chega-se a eles directamente através da publicidade e das vendas e indirectamente através da publicity. Outro público importante é o governo. Frequentemente, os interesses governamentais sobrepõem-se aos consumidores, particularmente aos grupos activistas. São necessários programas especiais para desenvolver relações positivas com os grupos activistas se a empresa está a trabalhar em áreas sensíveis que afectam a saúde pública, a segurança ou o ambiente. A comunidade financeira – investidores, accionistas e a imprensa financeira – são outro público importante.
  • Os públicos podem ser primários, secundários e marginais: Diferenciam-se pelo maior ou menor grau de importância que possuem para a organização.
  • Os públicos podem ser apoiantes, opositores e indiferentes: Os apoiantes são os que revelam uma atitude positiva face à organização, devendo exercer-se junto destes um esforço constante que vise reforçar as suas crenças; os opositores são aqueles cuja atitude é contrária à organização e portanto junto dos quais a comunicação a utilizar deve ser suficientemente persuasiva para mudar a sua opinião sobre a organização; finalmente os indiferentes são aqueles que reagem com indiferença em relação à organização devendo constituir um alvo importante a conquistar.

Livros otimos para referencia:

  RELACOES PUBLICAS PROCESSO FUNCOES TECNOLOGIA E ESTRATEGIAS
  PLANEJAMENTO DE RELAÇOES PUBLICAS

Mktg Social saiba o que é e como funciona

     O Marketing Social apropria-se de conhecimentos e técnicas mercadológicas, adaptando-se à promoção do bem estar social. Trabalha-se com objetivos claramente definidos, metas mensuráveis, pesquisas e avaliações quantitativas e qualitativas, além de desenvolvimento de tecnologias sociais para segmentos específicos. Busca posicionar na mente das pessoas as inovações sociais que pretende introduzir, implementa estratégias, cria, planeja e executa campanhas de comunicação para satisfazer necessidades que não estão sendo atendidas, estabelecendo novos paradigmas sociais.

A utilização de conceitos sobre mercado social, pode ser um importante instrumento de trabalho, pois utiliza ferramentas que podem permitir mudanças na forma de atuação na área e na potencialização de seus resultados na sua atuação com as políticas públicas.

   Já estão sendo desenvolvidos no Brasil, cursos de Marketing Social, voltados para uma visão adaptada à realidade do Mercado Social. Mas outros mecanismos de difusão desses conceitos precisam ser estimulados.

Marketing social é a modalidade de ação mercadológica institucional que tem como objetivo principal atenuar ou eliminar os problemas sociais, as carências da sociedade relacionadas principalmente às questões de higiene e saúde pública, de trabalho, educação, habitação, transportes e nutrição.

Marketing Social pode ser definido também como a gestão do processo de inovações de cunho social a partir da adoção de atitudes, comportamentos e práticas individuais e coletivas, orientadas de acordo com preceitos éticos, sendo estes fundamentados com base nos direitos humanos.

  

O que distingue marketing social do comercial
Enquanto o marketing comercial procura transmitir vantagem de um determinado produto/serviço ou marca, o marketing social procura transmitir a importância de determinadas acções.
A especificação do marketing social ocorre principalmente ao nível do seu objecto (consciência social) e nos objectivos a que se propõe (despertar consciências, modificar atitudes e alterar comportamentos).

 

Agentes do marketing social

  • Organizações internacionais
  • Estado
  • Organizações não governamentais
  • Empresas (Por exemplo: Greenpeace, WWF, Projeto Tamar, etc…))
  • Novas gerações

O produto social

Segundo Kotler, “O produto é a ideia, o conhecimento, a convicção, a atitude, o hábito ou o comportamento que se pretende transmitir aos segmentos alvo.”

Elementos do marketing social

Na elaboração de uma campanha de marketing social, deve-se especificar os elementos centrais. A correta definição da campanha é de extrema importância na fase de elaboração da estratégia de marketing, uma vez que é a base de todos os elementos da campanha.

  • A causa
  • Promotor da mudança
  • Segmentos escolhidos como alvo
  • As estratégias de mudança

 A importância da comunicação no marketing social

As campanhas de marketing social são campanhas de formação e informação, dependendo da capacidade de comunicar eficazmente a mensagem social pretendida. Podemos identificar as variáveis publicidade, relações públicas e marketing relacional como as principais ferramentas a serem utilizadas.

Nos dias de hoje as Redes Sociais tem forte influencia sobre o Marketing Social, as pessoas estão cada vez mais participando, elogiando, criticando e atuando em vários patamares sociais. O consumidor deixou de ser apenas um mero espectador para virar o protagonista.

Indicação de livros:

    

fontes: http://www.socialtec.org.br/ e wikipedia